LIVRO “ASCENSÃO DA ÁGUA” NA REVISTA VISÃO

16 de setembro 2020

O livro "Ascensão da Água", de Samuel F. Pimenta, que venceu o Prémio Literário Cidade de Almada 2019, na área de poesia, chega às livrarias na quinta-feira, pela editora Labirinto

DOIS POEMAS DE “ESTRELA TAMBOR” DE HUGO MILHANAS MACHADO

7 de Julho de 2020

Dois poemas de “Estrela Tambor” de Hugo Milhanas Machado Revista Palavra Comum

livro1.jpg

SARA F. COSTA FALA COM O HOJE MACAU

21 de maio de 2020

Sara F. Costa, tradutora de “Poética Não Oficial – Poesia Chinesa Contemporânea”: “Há um trauma colectivo nestes poemas”

Depois de “Transfiguração da Fome”, Sara F. Costa decidiu embrenhar-se no mundo da tradução de poemas chineses escritos após um dos períodos mais conturbados da história da China. “Poética Não Oficial – Poesia Chinesa Contemporânea” traz uma selecção e tradução para português de 33 poemas escritos após a Revolução Cultural

EDITORA LABIRINTO DISPONIBILIZA GRATUITAMENTE A REVISTA 
CINTILAÇÕES: REVISTA DE POESIA, ENSAIO E CRÍTICA, Nº 2

16 de abril de 2020

I'm a paragraph. Click here to add your own text and edit me. It’s easy. Just click “Edit Text” or double click me to add your own content and make changes to the font. I’m a great place for you to tell a story and let your users know a little more about you.

ENTREVISTA A PEDRO TEIXEIRA NEVES NA REVISTA CALIBAN

15 de março 2020

«A poesia é e será sempre uma forma de resistência»

LEGENDAS PARA UM CORPO, DE MARIA JOSÉ QUINTELA INTEGRA A LISTA FINAL DO PRÉMIO LITERÁRIO GLÓRIA DE SANT’ ANNA - EDIÇÃO 2020

20 de abril de 2029

A Editora Labirinto felicita a autora por esta distinção,  no ano em que completa 20 anos de vida literária. 

LEGENDAS PARA UM CORPO integra a Coleção Contramaré, da Editora Labirinto, coordenada por Victor Oliveira Mateus e Maria João Cabrita. A obra conta igualmente com prefácio de Maria Teresa Dias Furtado e capa de Daniel Gonçalves.

RUI ROCHA FALA SOBRE TAOTOLOGIAS

14 de novembro de 2017

É na Casa da Rocha, negócio que abriu há poucos meses, que Rui Rocha fala à MACAU. É entre bules de chá e doçaria regional portuguesa que o poeta se volta a dividir entre dois mundos. No centro, é certo dizer que permanece Macau, a cidade retratada nas linhas do autor.

Rui-Rocha_GLP_03.jpg
 
  • Facebook
  • Instagram

©2020 por Editora Labirinto.